Ecos da Segunda Guerra

 

1939 - 1945

 

Que essa ocasião solene faça emergir um mundo melhor, com fé e entendimento, dedicado à dignidade do homem e à satisfação de seu desejo de liberdade, tolerância e justiça."

Segunda Guerra Mundial
Home / História / Fatos / Operação Carne Picada – Parte II

Operação Carne Picada – Parte II

Preparando a Carne

mincemeat
Major William Martin

Após muita procura infrutíferas por  um corpo com as características desejáveis, a ponto de se pensar na desistência, a equipe responsável pela operação teve acesso a um homem com 34 anos de idade que havia falecido devido a uma pneumonia. E ainda, os pulmões do falecido estavam cheios de fluidos, o que reforçaria a idéia de que estivesse à deriva no mar durante alguns dias.

O médico patologista forense Sir Bernard Spillsbury, afirmou a Montagu que o fluído presente nos pulmões do morto não divergia quase em nada do fluído esperado nos pulmões de alguém que permaneceu flutuando no mar durante algum tempo. Spillsbury também disse: “Você não tem nada a temer de um exame post-mortem espanhol; para detectar que este homem não morreu após seu avião cair no mar seria preciso um patologista com a minha experiência, e não há nenhum na Espanha”.

Montagu contatou discretamente a família do morto, garantindo que o corpo seria usado para uma causa patriótica e que eventualmente receberia uma sepultura digna, apesar de que com outro nome. A família consentiu desde que a verdadeira identidade do homem morto jamais fosse divulgada. Então, a equipe de Montagu concluiu que seria possível por a operação em prática. A operação recebeu o nome de Mincemeat (Carne Picada), celebrando o típico humor negro dos britânicos.

A próxima etapa se concentrou em criar uma nova identidade ao corpo. De início, cogitaram que deveria ser um oficial do exército, no entanto, o processo burocrático para a identificação de baixas era muito complexo, e isso também poderia causar vazamento de informação. Ser um mensageiro da marinha seria complicado, devido à grande dificuldade em arranjar um uniforme. Decidiu-se que o corpo pertenceria aos Royal Marines (fuzileiros navais britânicos). No entanto, existia mais um problema relacionado com o fato de que os Royal Marines eram, mesmo em tempo de guerra, um grupo muito pequeno e seus membros eram muito próximos um dos outros. Assim, resolveu que o corpo seria de um Capitão (atuando como Major) chamado William Martin, nome comum entre os soldados dessa unidade.

Com um nome e um cargo, a equipe de Montagu teria de fabricar melhormente a identidade do Major Martin, tornando-o uma pessoa real. Para isso, atribuíram-lhe uma noiva, com fotografias e cartas amorosas, arranjadas pelas secretárias do departamento de Montagu. Junto ao Major iria uma carta do pai, contas a pagar; chaves, fósforos, moedas, bilhetes de teatro e muitos outros objetos normalmente presentes nos bolsos de um homem. As datas dos bilhetes de teatro, das contas e das cartas foram diligentemente coordenadas com a suposta partida de Inglaterra. Finalmente, a equipe encontrou uma pessoa viva cuja aparência era razoavelmente semelhante à do morto, tendo esta sido fotografada para a criação de uma carteira de identidade falsa. Para reforçar o traço descuidado da personalidade de Martin, a carteira de identidade encontrava-se uma observação: “em lugar do Nº09650 perdido”. Curiosamente, o número original era o mesmo da carteira de identidade de Montagu.

Continua… parte III

Artigo Anterior: Operação Carne picada – Parte I

Sobre André Luiz!

André Luiz, natural de Osasco, ex-militar do Exército, estudou letras em São Paulo, graduando em Psicologia e fascinado pelos fatos que envolvem a Segunda Guerra Mundial. Idealizador e criador do site Ecos da Segunda Guerra, - antigo Segunda Guerra.org - escreve sob a expectativa de contribuir com a memória deste trágico conflito e demonstrar mesmo nos acontecimentos mais terríveis é possível observar detalhes interessantes.

Veja Também

Sem título - Canibalismo Japonês Durante a Segunda Guerra Mundial

Canibalismo Japonês Durante a Segunda Guerra Mundial

Será ficção, mais um mito popular, uma invenção dos prisioneiros de guerra? Não sei confirmar, …

feb - Estupros e Massacres na Segunda Guerra Mundial – Soldados Brasileiros

Estupros e Massacres na Segunda Guerra Mundial – Soldados Brasileiros

Na gloriosa história de nossa Força Expedicionária Brasileira e campo de combate italiano, tivemos alguns …

1 comentário

  1. Pingback: Operação Carne Picada - Parte I | Segunda Guerra.org

Deixe sua Opinião (Facebook - Twitter - Google+)