Ecos da Segunda Guerra

 

1939 - 1945

 

Que essa ocasião solene faça emergir um mundo melhor, com fé e entendimento, dedicado à dignidade do homem e à satisfação de seu desejo de liberdade, tolerância e justiça."

Segunda Guerra Mundial
Home / Dia D / Durante / O Dia D – A Overlord Acontece

O Dia D – A Overlord Acontece

ddaycanada
Soldados Canadenses rumo ao Desembarque

Os barcos da frota da invasão navegavam com dificuldade pelas águas agitadas. No Canal da Mancha o mar estava revolto e as ondas atingiam 2 m. de altura. Um forte vento soprava do oeste produzindo uma prematura subida da maré. Nesse momento difícil, as longas colunas navais foram sobrevoadas por esquadrilhas aliadas que se dirigiam para o continente. Em bandos, quase que intermináveis, bombardeiros, caças, e transportes, estrondaram o espaço com o rugido dos seus motores.

Restavam poucos minutos para a meia-noite do dia 5 de junho de 1944, quando as primeiras bombas caíram sobre o território inimigo. Até as primeiras horas da madrugada, 1.136 aviões do Comando de Bombardeio da Real Força Aérea – RAF – lançaram 5.853 toneladas de explosivos sobre 10 baterias costeiras que se espalhavam pela baía do Sena, entre Cherburgo e Le Havre.

Ao amanhecer, os bombardeiros da 8ª Força Aérea dos EUA continuaram com o ataque e 1.083 aviões lançaram 1.763 toneladas de bombas sobre as defesas costeiras, durante 30 minutos anteriores ao desembarque.

Paralelamente, bombardeiros médios e leves atacaram incansavelmente todo tipo de alvo: estradas, cruzamentos, concentrações de tropas, vias ferroviárias e depósitos de abastecimentos. Enquanto os bombardeiros derramavam suas cargas de explosivos sobre o território inimigo, pouco mais da meia-noite do dia 5, efetivos da 6a Divisão Aerotransportada britânica se lançaram ao espaço sobre o flanco leste da zona de invasão.

d-day-paratroopers
Paraquedistas se preparando para o Salto

No oeste, paralelamente, tropas das Divisões 82a e 101a, aerotransportadas, estadunidenses, tocaram o solo. A missão desses efetivos era sinalizar o terreno para o lançamento interior da massa das divisões citadas.

À 01h30min da madrugada, os pára-quedistas da 101a Divisão saltaram ao sudeste de Ste. Mère-Eglise. As 02h00min, a 6a Divisão britânica iniciou o desembarque de seus homens a leste do rio Orne. Às 02h30min, os efetivos da 82a estadunidense cairam um pouco mais a oeste que seus camaradas da 101a Divisão.

Os primeiros soldados aliados iniciavam a luta naquela região do território europeu. A Overlord estava acontecendo. Nada podia detê-la.

Quando os bombardeiros encerravam a sua tarefa de abrandamento, nas primeiras horas do dia 6 de junho, a frota naval aliada se aproximou das costas da França. A aproximação ocorreu ao longo dos cinco “corredores” determinados previamente. Cada “corredor” se dividia em dois setores: lento e rápido; através do rápido, se moviam os barcos de guerra e os grandes transportes, e pelo lento, seguiam as LCT. Os limites dos “corredores” haviam sido determinados com bóias luminosas.

d-day1Numa distância que variava entre 13 e 21 km da costa, na chamada “zona de transporte”, os grandes barcos ancoraram e libertaram as embarcações de desembarque. Dessa linha as pequenas barcaças seguiam rumo às costas, guiadas na sua marcha pelas bengalas, lançadas para o alto, por diversos submarinos de pequena tonelagem, vários dias antes.

A primeira leva de tropas aliadas pisou em terra francesa às 06h30m do Dia D. No setor correspondente ao 1º Exército, o 7o Corpo assaltou a praia Utah com a 4a Divisão de Infantaria, e o 5o Corpo assaltaram a praia Omaha com a 1a Divisão de Infantaria.

Na frente do Segundo Exército, o 30o Corpo desembarcou na praia Gold com a 50a Divisão de Infantaria e o 1o Corpo desembarcaram na praia Juno com a 3a Divisão de Infantaria canadense. Na praia Sword, a 3a Divisão de Infantaria britânica tocou terra.

A “Hora H” variou entre 07h25m e 08h00min, para o grosso das forças.

O objetivo imediato das 5 primeiras divisões era pressionar em direção ao oeste, a partir da praia Utah, estabelecer contato entre as duas divisões aerotransportadas, e isolar a península de Cotentin; simultaneamente, no resto da frente, deviam seguir em direção ao sul, para tomar a importante estrada Carentan-Bayeux-Caen, que se dirigia de leste a oeste.

Os objetivos imediatos das forças de invasão foram atingidos de acordo com os planos previstos, exceto na praia Omaha, onde houve graves dificuldades, em virtude da presença no local de uma divisão de infantaria alemã. O mau tempo, também, colaborou para agravar consideravelmente as coisas, lançando muitas embarcações contra as praias ou fazendo chocarem-se algumas e afundar outras.

d-dayDiversos soldados morreram afogados na tentativa de ganhar a costa. Também, veículos anfíbios, em grande número foram lançados às águas a uma grande distância da costa se tornando alvo fácil da artilharia alemã; assim como o mar agitado fez com que muitos deles afundassem.

Sobre André Luiz!

André Luiz, natural de Osasco, ex-militar do Exército, estudou letras em São Paulo, graduando em Psicologia e fascinado pelos fatos que envolvem a Segunda Guerra Mundial. Idealizador e criador do site Ecos da Segunda Guerra, - antigo Segunda Guerra.org - escreve sob a expectativa de contribuir com a memória deste trágico conflito e demonstrar mesmo nos acontecimentos mais terríveis é possível observar detalhes interessantes.

Veja Também

O Dia D – Últimas horas: 20h – 24h

A batalha termina cedo. As tropas de assalto estão fatigadas e os alemães não têm …

1 comentário

  1. Juvencio de Barros Coelho

    O alemão que matou milhares de americanos no desembarque no dia D.
    Onde encontrar o seu relato? Aguardo resposta e obrigado!

Deixe sua Opinião (Facebook - Twitter - Google+)