Ecos da Segunda Guerra

 

1939 - 1945

 

Que essa ocasião solene faça emergir um mundo melhor, com fé e entendimento, dedicado à dignidade do homem e à satisfação de seu desejo de liberdade, tolerância e justiça."

Segunda Guerra Mundial
Home / Historia da Segunda Guerra / Fatos / Após / Julgamento de Nuremberg – Parte III

Julgamento de Nuremberg – Parte III

Os réus

Ao findar o conflito os estadunidenses fizeram 300 prisioneiros de guerra alemães creditados como os principais criminosos de guerra do regime nazista, e os soviéticos fizeram mais 500 prisioneiros. Em Nuremberg foram julgados apenas os principais responsáveis, (24 prisioneiros, reduzidos a 22). Robert Ley, responsável pela Frente de Trabalho do III Reich, enforcou-se em sua cela, antes do início do processo e o industrial alemão Gustav Krupp, com idade avançada e gravemente doente, foi dispensado do julgamento.

Martin Bormann, foi julgado à revelia, pois seu paradeiro era desconhecido, sem a comprovação de sua morte durante a batalha de Berlim – Em 1998, após um DNA num corpo encontrado em 1973, em escavações subterrâneas em Berlim, o oficial Nazista foi declarado oficialmente morto.

foto10
Hermann Goering

Cada prisioneiro tinha somente a roupa com que havia sido aprisionado, por isso, um alfaiate foi contratado para confeccionar trajes á medida, as quais lhes foram imediatamente retirados no final do julgamento.

A nenhum dos acusados foi autorizado o uso de insígnias militares nem, tão pouco, lhes foi dado o tratamento habitualmente devido às patentes militares.

distribuídos em celas individuais, com uma sentinela militar à porta em todo o tempo. Não podiam conversar entre si nem deixar o lugar que lhes estava destinado no Tribunal. O único privilégio era os 20 minutos diários de exercício físico.

O trajeto entre as celas e a sala era controlado por soldados estrategicamente colocados nos corredores que conduziam os acusados ao elevador.

O julgamento

shake-nuremberg

Os juízes consideraram 19 dos 22 réus, culpados de uma ou mais acusações. Os três réus restantes foram absolvidos, ainda que debaixo do protesto dos soviéticos. Dentre os culpados, 12 foram condenados à pena capital por enforcamento, três à prisão perpétua e quatro a penas que variaram entre 10 e 20 anos de prisão.

Findado o processo principal, os estadunidenses julgaram, igualmente em Nuremberg (de 1945 a 1949), mais 199 indivíduos acusados de atividades criminosas. Desses, 38 foram absolvidos, 36 condenados à pena capital, dos quais 18 foram executados, 23 a prisão perpétua e os 102 restantes a penas menores. Em relação a todos os restantes casos julgados pelos estadunidenses, poucos foram os presos que cumpriram a pena por mais de 7 anos.

A sentença

As sessões iniciaram em 20 de Novembro de 1945 com a declaração de inocência proferida por todos e cada um dos acusados. O Tribunal passou, a partir de então e até ao dia 31 de Agosto de 1946, a reunir 5 dias por semana, excepcionalmente numa curta férias natalina. No total, o coletivo se reuniu por 261 dias.

A acusação chamou a depor 33 pessoas e apresentou grande quantia de documentos que provavam a culpa dos réus, assim como numerosos filmes e fotografias.

A defesa, recorreu a 61 testemunhos verbais e declarações escritas de mais de 143 testemunhas.

As discussão dos jurados duraram até 1 de Outubro de 1946, exigindo um grande esforço quanto a revisão de fatos e provas, e da legislação aplicável naquele que foi o primeiro julgamento criminal internacional da História.

Artigos Anteriores

Julgamento de Nuremberg – Parte II
Julgamento de Nuremberg – Parte I

Veja Também:
Os Condenados em Nuremberg

Além de Nuremberg – O Julgamento Japonês
Além de Nuremberg – Outros Tribunais

Sobre André Luiz!

André Luiz, natural de Osasco, ex-militar do Exército, estudou letras em São Paulo, graduando em Psicologia e fascinado pelos fatos que envolvem a Segunda Guerra Mundial. Idealizador e criador do site Ecos da Segunda Guerra, - antigo Segunda Guerra.org - escreve sob a expectativa de contribuir com a memória deste trágico conflito e demonstrar mesmo nos acontecimentos mais terríveis é possível observar detalhes interessantes.

Veja Também

onu logo2 5462da5e site icon - Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948

Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948

Declaração Universal dos Direitos Humanos. Documento contendo todos os artigos do documento de 1948.  Prefácio …

1 comentário

  1. Pingback: Condenados de Nuremberg | Segunda Guerra.org

Deixe sua Opinião (Facebook - Twitter - Google+)