Ecos da Segunda Guerra

 

1939 - 1945

 

Que essa ocasião solene faça emergir um mundo melhor, com fé e entendimento, dedicado à dignidade do homem e à satisfação de seu desejo de liberdade, tolerância e justiça."

Segunda Guerra Mundial
Home / Hoje em dia / Homem acusado de ser criminoso nazista é Indiciado na Alemanha

Homem acusado de ser criminoso nazista é Indiciado na Alemanha

Promotores alemães pedem extradição de John Demjanjuk, de 88 anos, residente nos Estados Unidos.

As autoridades judiciárias alemãs indiciaram no dia 11 de março de 2009, um homem já idoso, com seus 88 anos de idade, acusado de ter trabalhado como guarda num campo de concentração nazista – que não deixa de ser alemão.

John Demjanjuk foi indiciado pelo envolvimento em pelo menos 29 mil mortes no ano de 1943.

Os promotores afirmam tentar a extradição de Demjanjuk, que vive nos Estados Unidos desde o término da Segunda Guerra Mundial.

Demjanjuk é acusado de ter gerenciar os motores a diesel que enviavam fumaça para as câmaras de gás no campo de Sobibor, na Polônia.

Sobibor foi, juntamente com Treblinka, um dos quatro campos de concentração usados pelos alemães nazistas na Operação Reinhard para exterminar judeus e prisioneiros de guerra em escala industrial.

John Demjanjuk, obviamente nega todos os envolvimento nos crimes e afirma que era apenas mais um prisioneiro de guerra dos nazistas, e não um guarda.

No final da década de 70, sobreviventes dos campos identificaram Demjanjuk como ‘Ivan, o Terrível’, um ex-prisioneiro de guerra de origem soviética que teria se transformado num guarda extremamente sádico.

Ivan foi de fato o nome que Demjanjuk recebeu de seus pais na Ucrânia, mas ele mudou para John ao se naturalizar-se estadunidense na década de 50.

Por anos, Demjanjuk foi funcionário de uma fábrica de automóveis da Ford em Ohio, porém uma investigação oficial baseada em evidências dadas por sobreviventes do da Segunda Guerra Mundial fez com que ele fosse extraditado para Israel.

Um tribunal em Jerusalém condenou Demjanjuk à morte em 1988, devido o seu suposto envolvimento na operação de câmaras de gás em Treblinka – um campo de concentração perto de Varsóvia onde cerca de 750 mil pessoas foram mortas.

No entanto, a decisão foi revogada em 1993 pela Suprema Corte israelense, que concluiu que existiam dúvidas suficientes sobre se Demjanjuk era realmente um guarda de Treblinka. O acusado retornou aos Estados Unidos.

Em 2002, um juiz estadunidense de imigração decidiu que existiam evidências suficientes de que Demjanjuk fora um guarda em campos nazistas e suspendeu sua cidadania.

No ano passado, o aposentado perdeu seu direito legal de permanência nos Estados Unidos, mas não deixou o país porque havia dúvidas sobre para qual país deveria ser remetido.

Sobre André Luiz!

André Luiz, natural de Osasco, ex-militar do Exército, estudou letras em São Paulo, graduando em Psicologia e fascinado pelos fatos que envolvem a Segunda Guerra Mundial. Idealizador e criador do site Ecos da Segunda Guerra, - antigo Segunda Guerra.org - escreve sob a expectativa de contribuir com a memória deste trágico conflito e demonstrar mesmo nos acontecimentos mais terríveis é possível observar detalhes interessantes.

Veja Também

rudolf hess - As últimas fotos de Rudolf Hess vivo na Prisão de Spandau

As últimas fotos de Rudolf Hess vivo na Prisão de Spandau

“Eu fui à Inglaterra por você”: última foto de Rudolf Hess reaparece junto a uma …

foto 3 1 e1515343512851 - Adolf Hitler realmente morreu em seu Bunker, em 1945?

Adolf Hitler realmente morreu em seu Bunker, em 1945?

Por: Anderson Subtil    20 de abril de 1945, enquanto os tanques soviéticos cercavam uma …

Deixe sua Opinião (Facebook - Twitter - Google+)