Ecos da Segunda Guerra

 

1939 - 1945

 

Que essa ocasião solene faça emergir um mundo melhor, com fé e entendimento, dedicado à dignidade do homem e à satisfação de seu desejo de liberdade, tolerância e justiça."

Segunda Guerra Mundial
Home / Brasil / FEB – As Placas de Identificação

FEB – As Placas de Identificação

placasTodos os expedicionários levavam, numa corrente ou cordão metálico, dependurado ao pescoço, duas placas de identidade, de metal amarelo, com os dizeres em relevo.

Nela constavam o nome, número de identificação, tipo sanguíneo, ano da vacinação antitetânica, e as iniciais Of para os oficiais e Pr para as praças; acima do nome a palavra “Brasil”.

A seção do Quartel General, encarregada de fornecer as placas, lutou penosamente para que ninguém fosse desfalcado dessa importante prova de identidade.

A ordem de usar as placas no pescoço era terminante. Apesar de toda severidade e fiscalização, verificou-se que muitos soldados, no teatro de operações, não tinham a placa ou a deixavam no saco, entre sua bagagem. O resultado dessa falta de compreensão de muitos soldados, que a insistência e zelo dos comandantes não conseguiram vencer, foi que tivemos dezoito mortos desconhecidos, além de inúmeros outros a custos identificados pelo Pelotão de Sepultamento.

Uma aplicação interessante da placa de identidade – justamente por isso tinha os dizeres em relevo – era de servir de matriz para a Impressão da identidade do ferido ou doente, na ficha de evacuação para os hospitais.

As formações sanitárias regimentais receberam um pequeno aparelho portátil, onde se colocava a ficha, juntamente com a placa e, mediante pressão manual, imprimiam-se os dizeres na ficha. Era uma operação rápida, simples e segura, dispensando os informes do ferido, que muitas vezes não estava em condições de prestá-los.

Outra aplicação das placas era identificar os mortos, ao serem recolhidos pelo Pelotão de Sepultamento, e depois, ao serem enterrados, uma das placas era presa à cruz do túmulo e a outra acompanhava o cadáver.

nurse_tag

Sobre André Luiz!

André Luiz, natural de Osasco, ex-militar do Exército, estudou letras em São Paulo, graduando em Psicologia e fascinado pelos fatos que envolvem a Segunda Guerra Mundial. Idealizador e criador do site Ecos da Segunda Guerra, - antigo Segunda Guerra.org - escreve sob a expectativa de contribuir com a memória deste trágico conflito e demonstrar mesmo nos acontecimentos mais terríveis é possível observar detalhes interessantes.

Veja Também

foto 3 - Georges Schteinberg - O Herói judeu da França Livre que viveu entre nós.

Georges Schteinberg – O Herói judeu da França Livre que viveu entre nós.

O Holocausto, a perseguição e o posterior assassinato sistemático e em escala industrial, perpetrado pelos …

11202873 455284331340213 6279428159685743052 n e1510068711717 - De Cangaceiro a Soldado da Borracha

De Cangaceiro a Soldado da Borracha

Muitos foram os brasileiros lutando pelo esforço de guerra durante a Segunda Guerra Mundial, mas …

Deixe sua Opinião (Facebook - Twitter - Google+)