Ecos da Segunda Guerra

 

1939 - 1945

 

Que essa ocasião solene faça emergir um mundo melhor, com fé e entendimento, dedicado à dignidade do homem e à satisfação de seu desejo de liberdade, tolerância e justiça."

Segunda Guerra Mundial
Home / História / Fatos / Estupros e Massacres na Segunda Guerra Mundial – Soldados Alemães
mr3 - Estupros e Massacres na Segunda Guerra Mundial – Soldados Alemães

Estupros e Massacres na Segunda Guerra Mundial – Soldados Alemães

Soldados do Reich

Responsveis por atrocidades sem conta, a começar pela deportação e pelo genocídio, parece que os soldados do Reich  se distinguiram menos que seus aliados japoneses em materia de estupros. As explicações são nume­rosas e paradoxais, que vão da estrita disciplina (A estrema rigidez dos suboficiais) a vontade do comando de parecer “corretos” os exércitos do Reich (é o caso por oasião da campanha da França, mesmo que batalhões da SS não se eximam de massacrar civis no norte) até uma tal “lógica”.

mr3

No leste notadamente, de extermínio em massa e de desprezo pêlos Untermenschen (“sub-homens”) que não é realmente caso de estupro. Hitler, quando da invasão da URSS, foi cla­ro em suas diretivas: é necessário “eliminar a intelligentsia judaico-bolchevique”, criando para isso batalhões especiais de extermínio (Einsatzgruppen).

mr2

Isso não impede os estupros pontuais, seja nos Bálcãs ou mesmo na França ou na Itália do outono de 1944, quando as tropas alemãs que se retiram não estão mais em formação. Os soldados, entregues a si mesmos, saqueando, violentando e matando à medida que recuam sem esperança de retorno, não têm mais de manter a reputação de um exército até en­tão encarregado de dar à população francesa uma imagem inspiradora da ordem e da confiança.

mr

Ora, os estupros são suficientemente numerosos para que no departamento de Drôme, por exemplo, a administração municipal se preocu­pe com as crianças nascidas desses estupros: “Importa que a criança não seja criada e que não tenha nenhuma ligação no departamento onde sua mãe foi vítima de violências, a fim de que não venha a sofrer por isso mais tarde…”

Fonte: A Mulheres ma Guerra 1939-1945 – Claude Quétel – Editora Larousse

Sobre Ricardo Lavecchia

Ricardo Lavecchia tem 35 anos, nascido no dia 22/01/1982. Natural de Santo André – SP Trabalha como vedendor, desenhista nas horas vagas, sempre procurou novas idéias em imagens de livros e jornais, e foi numa dessas buscas que descobriu outra paixão: A Segunda Guerra Mundial. Tinha, então, 18 anos e se deparou com o livro: "Crônicas de Guerra - Com a FEB na Itália" de Rubens Braga. Ao invés de apenas escolher uma imagem para desenhá-la, resolveu ler o livro. O fascínio pelo assunto o tomou por completo. Em suas pesquisas sobre o tema, descobriu não só relatos de guerra, mas amizades sinceras de veteranos, como o Sr. Antônio Cruchaki, veterano do 9º BEC e o falecido Capitão Rocha da Senta a Pua. E-mail: ricardo @ segundaguerra.net

Veja Também

Sem título - Canibalismo Japonês Durante a Segunda Guerra Mundial

Canibalismo Japonês Durante a Segunda Guerra Mundial

Será ficção, mais um mito popular, uma invenção dos prisioneiros de guerra? Não sei confirmar, …

feb - Estupros e Massacres na Segunda Guerra Mundial – Soldados Brasileiros

Estupros e Massacres na Segunda Guerra Mundial – Soldados Brasileiros

Na gloriosa história de nossa Força Expedicionária Brasileira e campo de combate italiano, tivemos alguns …

6 comentários

  1. Por que o camarada não pesquisa os estupros que seus bondosos aliados praticaram na invasão da Europa e na suposta liberação da Alemanha nacional socialista e seus atos bestias na Itália. Ao invés de repetir a mesmas besteiras de sempre sobre o povo alemão e seus combatentes que sempre tratou com honra e respeito os países que invadiram por conta da guerra imposta pelo judaísmo internacional.
    Brasil acima de tudo!!

  2. Acredito eu que devemos somente olhar para a parte historica estas barbaries que foram perpetradas cabem para todas as partes envolvidas…infelizmente aconteceram e que sirvam sempre de memoria quanto bestial pode ser o ser humano quando as obrigacoes e deveres não precisam ser cumpridos

  3. Jorge Marcelo Lobato

    Podemos crer que houve abusos de todos os lados. Os russos agiram como verdadeiros bárbaros hinos quando invadiram a Alemanha.

  4. Thiago Lima, sugiro que pesquise mais sobre a segunda guerra mundial, antes de dizer a besteira que os Alemães trataram com honra e respeito os povos que invadiram por uma guerra imposta pela própria Alemanha. Todos os países que ela invadiram, os alemães cometeram crimes bárbaros não só contra os judeus, mas também contra a população destes pais. foram praticados vários massacres contra a população subjugada.

  5. Os alemães trataram com HONRA e RESPEITO os povos invadidos ?

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Você é um brincante Thiago Lima, no mínimo nunca leu nada sobre a guerra, nada mesmo, qualquer local que estiveram, houve massacre, desrespeito e uma brutalidade fora do normal. Assim como muitos dos aliados também cometeram esse tipo de absurdo.

    As alemãs diziam !
    “Preferimos um russo em nossas barrigas, a um americano em nossas cabeças”

    Essas atrocidades estavam em todos os lados, tanto no eixo quanto dos aliados, mas vir aqui e dizer que trataram com HONRA e RESPEITO ? Você tá de sacanagem !

Deixe sua Opinião (Facebook - Twitter - Google+)