Ecos da Segunda Guerra

 

1939 - 1945

 

Que essa ocasião solene faça emergir um mundo melhor, com fé e entendimento, dedicado à dignidade do homem e à satisfação de seu desejo de liberdade, tolerância e justiça."

Segunda Guerra Mundial
Home / Brasil / Brasil na Segunda Guerra – Estampas Eucalol conta História da FEB
102580 3 - Brasil na Segunda Guerra - Estampas Eucalol conta História da FEB

Brasil na Segunda Guerra – Estampas Eucalol conta História da FEB

As estampas Eucalol era um “card” que retratava a cultura brasileira e algumas vezes de outros países.

Começaram a ser emitidas em 1928, pela Perfumaria Myrta S/A, do Rio de Janeiro. Coloridas e em preto e branco acompanhavam o Sabonete Eucalol – três sabonetes em cada caixa com três estampas – e o Creme Dental Eucalol – uma estampa por tubo.

Com o Brasil entrando na Segunda Guerra Mundial houve uma série de Estampas Eucalol que retratava A História da FEB. Foram desenhadas por Willy von Paraski e impressas pela Gráfica F. Lanzarra – São Paulo -, Litográfica Rebizzi e Gráfica Mauá, ambas do Rio de Janeiro, e algumas outras menores.

Os textos foram extraídos do verso dos cartões

serie249_01 serie249_02
Força Expedicionária Brasileira

Declarada a guerra, ao Eixo, tornou-se necessário enviar forças militares para combater o inimigo, na Europa. Ao então Ministro da Guerra, Gal. Eurico Dutra coube a incumbência de organizar a Força Expedicionária Brasileira, tropa selecionada do nosso Exercito e que se tornou mundialmente famosa como “FEB”.

 

“General Mann” Transatlântico Armado em Transporte de Guerra
A bordo do transatlântico “General Mann” armado em transporte de guerra norte-americano, os nossos pracinhas que partiam para os campos da Itália, receberam a visita do Presidente Getulio Vargas.

serie249_03 serie249_04

Chega a Nápoles (Itália), o 1º Escalão da FEB
Depois de uma viagem sem dificuldades, graças a escolta dos nossos vasos de guerra em colaboração com unidades americanas e inglesas, chegou a Nápoles o 1º escalão da FEB, precedendo ao 2º, 3º e 4º escalões, num total de 25.334 homens para lutar contra os Alemães, na Itália.

Hasteada em 19 de julho de 1944 a Bandeira em Solo Europeu
A 19 de julho de 1944, presidida pelo General Mascarenhas de Morais, Comandante em Chefe da FEB, foi hasteada com indizível patriotismo a Bandeira do Brasil em território Europeu, pela primeira vez em toda a nossa Historia.

serie249_05 serie249_06

Incorporação da FEB ao 5º Exército dos EE.UU.
A 5 de agosto de 1944, com as formalidades regulamentares, o 1º escalão da FEB foi incorporado ao 5º Exercito dos EE.UU., tropa de escol sob o comando do general Mark Clarck e que já obtivera grandes vitórias na África.

O Distintivo do 5º Exército e da FEB
A gravura do verso nos mostra os distintivos que irmanaram dois povos na luta contra o inimigo comum: o do 5º exercito Americano e o da FEB, representado por uma cobra fumando um cachimbo. “Cobra fumando é uma expressão pitoresca muito usada pelos soldados, nos quartéis”.

serie250_01 serie250_02

Winston Churchill visita Mascarenhas de Morais
A gravura focaliza o momento em que o Gal. Mascarenhas de Morais, recebia em Tarquinia, a visita de Winston Churchill, 1º Ministro inglês e uma das mais destacadas personalidades da Historia Contemporânea.

Pracinhas Brasileiros Entram na Cidade de Massarosa, na Itália
A gravura representa a entrada de pracinhas brasileiros na cidade de Massarosa, na Itália. Esta foi a primeira localidade capturada pela FEB graças a uma arriscada ação da 2ª Cia. do 6 º Regimento de Infantaria, sob o comando do Capitão Alberto Tavares da Silva.

serie250_03 serie250_04

O Ministro da Guerra Eurico Gaspar Dutra Visita a FEB
A FEB recebeu também a visita do Ministro Eurico Dutra. A gravura mostra o momento em que o Ministro da Guerra aprovava o distintivo da “cobra fumando”. Numa homenagem ao Brasil, os Generais dos Exércitos das Nações Unidas entregaram-lhe o comando geral das operações, durante a sua estadia.

“Zé Carioca” o Jornal dos Pracinhas
Para maior contentamento dos nossos pracinhas, foi fundado no acampamento da FEB um pequeno jornal, mimeografado, com noticiário o mais variado possível. Tal jornal chamava-se “Zé Carioca”.

serie250_05 serie250_06

A Religião Católica na FEB
Atendendo a que a maioria da população brasileira é Católica, a FEB possuía também um perfeito serviço religioso para maior conforto espiritual dos pracinhas católicos.

Montese, Castelnuovo e Monte Castelo, Tomadas pela FEB
O mapa, do verso, dá uma idéia da região onde atuaram os soldados brasileiros. Distinguem-se, entre outras, as localidades de Montese, Castelnuovo e Monte Castelo, tomadas pela FEB. Vê-se assinalada a região onde foi aprisionada pela FEB a 148ª Divisão de Infantaria Alemã.

serie251_01 serie251_02
A tomada de Monte Castelo
A gravura mostra alguns pracinhas descansando antes da subida para a tomada de Monte Castelo, glorioso feito de nossas armas, na Itália, em terreno difícil e montanhoso, contra um inimigo poderoso e bem localizado.

Aviões Atiram Alimentos em Caixinhas para a Sentinela Avançada
A sentinela avançada, por sua localização distante e perigosa, recebia os alimentos em caixinhas como a que se vê na gravura, as quais eram jogadas por aviões.

 

serie251_03 serie251_04
Serviço de Transmissões da FEB
O serviço de Transmissões, da FEB, manteve impecável ligação entre os diversos escalões da tropa. A gravura nos mostra um posto de radio, em campanha, em pleno funcionamento.
O Problema de Suprimento é de Capital Importância
Em qualquer campanha o problema de Suprimento é de capital importância. Dotada de uma organização modelar em todos os sentidos, a FEB nada deixou a desejar, embora fosse a 1ª vez que nossas forças lutavam fora do continente.
serie251_05 serie251_06
Defesa Antiaérea da FEB em Ação
Em virtude do progresso da arma aérea, nesta guerra, todas as forças em operações deveriam possuir recursos indispensáveis e uma perfeita segurança contra raids aéreos. Vemos no verso, uma peça antiaérea da FEB, em ação.
Serviço de Saúde da Força Expedicionária Brasileira
O serviço de Saúde, da Força Expedicionária Brasileira, se fez presente em todos os Hospitais da linha de frente, em colaboração com o serviço de Saúde das Nações Unidas.
serie252_01 serie252_02
Na Hora do “rancho”
A hora do “rancho”, como são conhecidos os momentos das refeições, entre os soldados, é sempre recebida com prazer. Em plena campanha, mesmo com “a cobra fumando”, os nossos pracinhas recebiam com satisfação as suas refeições, graças ao impecável serviço da FEB.
O General Inverno
Um dos maiores inimigos dos nossos pracinhas foi o frio. Os nossos soldados se referiam à ele, chamando-o General Inverno. Mesmo assim, com neve e um frio jamais imaginado, os nossos soldados se conduziram com o ardor que sempre caracterizou nossos militares. A gravura mostra alguns oficiais brasileiros treinando Sky.
serie252_03 serie252_04

Sir Alexander, General Inglês, Comandante do XV Grupo de Exércitos
A FEB recebeu a visita honrosa de Sir Alexander, General Inglês, Comandante do XV Grupo de Exércitos. Teve ocasião de ser homenageado com um almoço, pela FEB, debaixo de violento bombardeio alemão. O Gal. Alexander teceu os maiores elogios a bravura dos comandados do Gal. Mascarenhas

Desfile de Soldados Americanos e Brasileiros
A gravura mostra um desfile de soldados americanos e brasileiros assistido pelos seus comandantes: Gal. Mark Clarck e Gal. Mascarenhas de Morais, famosos cabos de guerra que passarão a historia, como um exemplo de patriotismo a ser seguido pelas gerações futuras.

serie252_05 serie252_06
A Coragem e o Sangue Frio dos Brasileiros
Enfrentando os mais poderosos e modernos engenhos de guerra, por ocasião da tomada de Monte Castelo, os nossos pracinhas mostraram ao Mundo a coragem, o sangue frio e o patriotismo tão peculiar aos brasileiros e que nos foram legados por Caxias, Barroso e “outros heróis que honram a nossa historia”.
Um “Ninho” de Metralhadoras, dos Nossos Pracinhas
A gravura mostra um “ninho” de metralhadoras, dos nossos pracinhas, em plena campanha, levando ao inimigo, na certeza de suas pontarias, a prova mais eloqüente de que há um povo viril nesta parte do Atlântico.
serie253_01 serie253_02
Força Aérea Brasileira na Vigilância aos Comboios
Seria injusto deixar de mencionar o papel preponderante que teve a Força Aérea Brasileira, quer na vigilância aos comboios quer nos ataques diretos às tropas e às posições inimigas.
Ação da Engenharia Brasileira
A engenharia militar brasileira teve atuação destacada, em campanha. A ponte de Sila, nas proximidades de Monte Castelo, tinha de ser reparada diariamente, pois os alemães a mantinham sob permanente fogo de seus canhões para impedir o avanço da FEB.
serie253_03 serie253_04
As Minas como Engenhos de Guerra
Um dos engenhos de guerra que maior porcentagem de baixas causou na Itália, foram as Minas. Os Jeeps, quando atingidos, iam pelos ares, destroçados. Aos poucos, a pratica foi ensinando que um dos recursos mais eficazes era o da colocação de sacos de areia, no fundo dos veículos, para amortecer o choque causado pela explosão.
A Tomada de Monte Castelo o Maior feito da Campanha da Itália
A resistência tremenda de Monte Castelo realça ainda mais a vitória final da FEB. Repelidos duas vezes, os nossos pracinhas na terceira tentativa conseguiram dominar a praça, alcançando uma vitória que se transformou num dos maiores feitos da campanha da Itália e, também, das armas brasileiras.
serie253_05 serie253_06
Uma Patrulha Brasileira Aprisionada pelos Alemães
Houve uma patrulha brasileira que, aprisionada dentro das linhas alemãs, reagiu, conseguiu criar uma situação de pânico para o inimigo e ainda trazer dois prisioneiros, de volta. Essa patrulha foi condecorada por ato de bravura.
Os Nossos Pracinhas e os Ataques Aéreos Alemães
Os nossos pracinhas eram castigados duramente pelos ataques aéreos alemães. A gravura nos deixa ver alguns soldados da FEB atirando-se ao solo, considerando que esse ainda é uma dos recursos mais eficientes contra o ataque aéreo.
serie254_01 serie254_02
A Gloriosa Bandeira Brasileira nos Cumes de Monte Castelo
A gloriosa Bandeira Brasileira, desfraldada ao vento nos cumes de Monte Castelo, foi para todos os brasileiros o desagravo que desejávamos contra o impiedoso sacrifício de nossos patrícios quando do torpedeamento de nosso barcos mercantes.
Prisioneiro o General Alemão Otto Fretter Pico
Ao comando da FEB, na Itália, foi apresentado como prisioneiro de guerra o Gal. Alemão Otto Fretter Pico, comandante da 148ª DI e do restante de uma DI Italiana. O Gal. Pico fez-se acompanhar por 31 oficiais do seu Estado Maior e rendeu-se por julgar inútil resistir ao ímpeto avassalador de nossas forças.
serie254_03 serie254_04
A FEB na Campanha da Itália fez 20.573 Prisioneiros de Guerra
A Força Expedicionária Brasileira, na campanha da Itália, fez 20.573 prisioneiros de guerra, num total quase igual ao que enviamos à Europa, o que demonstra cabalmente o valor de nossos soldados. Também farto material bélico aprisionado ao inimigo.
Em Fornovo a FEB Aprisionou os Remanescentes do “Afrika Corps”
Na área de Fornovo a FEB aprisionou os remanescentes do “Afrika Corps” tropa de elite alemã que serviu sob o comando do famoso general Von Rommel, cujas rápidas avançadas e retiradas em solo africano valeram-lhe o apelido de “a raposa do deserto”.
serie254_05 serie254_06
A FEB Apreendeu ao Inimigo 1.000 Veiculos e 4.000 cavalos
A FEB conseguiu apreender ao inimigo copioso material bélico. Nos dezenove dias de ofensiva, na primavera, foram capturados 1.000 veiculos, 4.000 cavalos além de abundante material de saúde e intendência.
Utilizado pelos Heróis da FEB este Novo Engenho de Guerra
A Bazooka foi um dos engenhos de guerra de grande poder mortífero mais utilizados nesta guerra. A gravura nos dá uma nítida idéia de seu funcionamento, vendo-se dois pracinhas da FEB utilizando-a contra um objetivo.
serie255_01 serie255_02
Padioleiros Transportando um Ferido em Combate
O serviço de saúde da FEB merece uma referencia especial. Todo o seu pessoal foi de uma dedicação à toda a prova e portou-se com um heroísmo inexcedível. Vemos no verso, um grupo de padioleiros transportando um companheiro ferido em combate.

Em Pistoia, na Itália, Descançam Alguns Heróis Brasileiros
Na localidade de Pistoia, na Itália, descansam alguns heróis da Força Expedicionária Brasileira, bravos patrícios que lutaram e morreram para que a Liberdade – maior bem do homem – pudesse continuar entre os povos de boa vontade.

serie255_03 serie255_04
Os Pracinhas Cheios de Glorias voltam ao Brasil
A maior manifestação publica já registrada no País, teve lugar quando os nossos pracinhas voltaram da Europa. Massa compacta de povo acudiu as ruas centrais da cidade para dar as boas vindas aos heróis que regressavam vitoriosos, inscrevendo outro episodio glorioso, na já gloriosa “Historia do Brasil”.
Em 29 de outubro de 1945 foi deposto o Presidente Vargas
Para evitar que perdurasse a situação em que se encontrava o País, as forças armadas, irmanadas, no dia 29 de outubro de 1945, depuseram o Presidente Getulio Vargas que foi substituído pelo Dr. José Linhares, Presidente do Supremo Tribunal Federal.
serie255_05 serie255_06
O Grande Pleito de 2 de dezembro de 1945
No dia 2 de dezembro de 1945, foram realizadas as eleições para Presidente da República. A elas concorreram como principais candidatos o Brigadeiro do Ar Eduardo Gomes, um dos “18 do Forte” e o general Eurico Gaspar Dutra, que foi eleito em sensacional pleito.
Eleito Presidente da República o general Eurico Gaspar Dutra
Eleito em 1945, o general Dutra deverá governar o país até 1950.

Sobre André Luiz!

André Luiz, natural de Osasco, ex-militar do Exército, estudou letras em São Paulo, graduando em Psicologia e fascinado pelos fatos que envolvem a Segunda Guerra Mundial. Idealizador e criador do site Ecos da Segunda Guerra, - antigo Segunda Guerra.org - escreve sob a expectativa de contribuir com a memória deste trágico conflito e demonstrar mesmo nos acontecimentos mais terríveis é possível observar detalhes interessantes.

Veja Também

foto 3 - Georges Schteinberg - O Herói judeu da França Livre que viveu entre nós.

Georges Schteinberg – O Herói judeu da França Livre que viveu entre nós.

O Holocausto, a perseguição e o posterior assassinato sistemático e em escala industrial, perpetrado pelos …

11202873 455284331340213 6279428159685743052 n e1510068711717 - De Cangaceiro a Soldado da Borracha

De Cangaceiro a Soldado da Borracha

Muitos foram os brasileiros lutando pelo esforço de guerra durante a Segunda Guerra Mundial, mas …

3 comentários

  1. EU MORO NO INTERIOR DE SÃO PAULO NA CIDADE DE ATIBAIA, NUNCA FUI MILITAR, ANO QUE VEM COMEÇO A ESCOLA DA PM. SOU UMA PESSOA FACINADA PELOS ATOS DE BRAVURA HERÓISMO E LIBERTAÇÃO, A SEGUNDA GUERRA FOI UMA RESPOSTA AOS IDEAIS CONFLITANTES COM A ÉTICA HUMANA UMA RESPOSTA DOS HOMENS DE BENS, DOS HOMENS LIVRES À INTOLERÂNCIA AO AUTORITARISMO.

    E FELIZMENTE FOMOS VENCEDORES. NUNCA PODEMOS ESQUECER A MEMÓRIA DOS QUE LUTARAM BRAVAMENTE PARA QUE HOJE HOUVESSE DEMOCRACIA PARA QUE PELO MENOS OS IDEAIS DE LIBERDADE PERMANECECEM NO OCIDENTE. VIVA O EXÉRCITO DOS POVOS LIVRES!!!

  2. senhor arma…a cavalaria da feb houve muito poucos tanques para a cavalaria,pois houve mais infantaria,e não havia expectativas para que a cavalaria fosse necessária,e então,a feb constituiu de 60% como infantaria.
    isso responde a sua pergunta?

  3. Gostei muito do seu trabalho amigo!

    i´ve felt the hate rise up in me…
    kneel down and clear the stone of leaves…
    i wander out where you can´t see…
    inside my shell,
    I WAIT AND BLEED

Deixe sua Opinião (Facebook - Twitter - Google+)