Ecos da Segunda Guerra

 

1939 - 1945

 

Que essa ocasião solene faça emergir um mundo melhor, com fé e entendimento, dedicado à dignidade do homem e à satisfação de seu desejo de liberdade, tolerância e justiça."

Segunda Guerra Mundial
Home / Ricardo Lavecchia (página 18)

Ricardo Lavecchia

Ricardo Lavecchia tem 35 anos, nascido no dia 22/01/1982. Natural de Santo André – SP

Trabalha como vedendor, desenhista nas horas vagas, sempre procurou novas idéias em imagens de livros e jornais, e foi numa dessas buscas que descobriu outra paixão: A Segunda Guerra Mundial. Tinha, então, 18 anos e se deparou com o livro: “Crônicas de Guerra – Com a FEB na Itália” de Rubens Braga. Ao invés de apenas escolher uma imagem para desenhá-la, resolveu ler o livro. O fascínio pelo assunto o tomou por completo.

Em suas pesquisas sobre o tema, descobriu não só relatos de guerra, mas amizades sinceras de veteranos, como o Sr. Antônio Cruchaki, veterano do 9º BEC e o falecido Capitão Rocha da Senta a Pua.

E-mail: ricardo @ segundaguerra.net

Crônicas de Guerra – Bravura de um Sargento

LUCIAN ADAMS Posto: Sargento, Exército dos Estados Unidos, 30º Regimento de Infantaria, 3ª Divisão de Infantaria. Local e data: Near St. Die, França, 28 de Outubro de 1944. Quando sua companhia foi enviada para reabrir a linha interrompida para o fornecimento e avanço do terceiro batalhão através de Mortagne Forest, …

Crônicas de Guerra – Susto no ar

Voando em círculos, os aviões lembravam falcões pairando sobre o charco. Enquanto Surbeck ganhava altitude, os artilheiros testaram suas Browning M2 calibre 50. Cada metralhadora pesava cerca de 30 kg e disparava 800 tiros por minuto num raio de 550 metros. Tinha cerca de150 componentes. Todo artilheiro tinha de aprender …

Relato da Segunda Guerra – Ninho de Morteiro

Meu Capitão Comandante de Companhia era uma figura, vamos dizer, inusitada. Chamava-se João Manoel de Faria Filho. De baixa estatura – Apelidamos ele de “Giovanni Piccolo” (Giovanni, o pequenino) . Porém era um homem de bravura pessoal a toda prova. Em várias ocasiões, quando a presença do Comandante de Companhia …

Crônicas de Guerra – Sozinho no Monte Castelo

Minha lembrança de Monte Castelo foi a de um avião alemão que passou a pouco mais de 50 metros sobre minha cabeça, disparando quatro metralhadoras simultaneamente, contra os alvos: eu e a metralhadora Ponto 50 – que era minha especialidade. Estava guarnecendo a rota 64, que levava a Monte Castelo. …